Sudeste tem 88,4% do faturamento das lavouras de café em 2023

Sudeste tem 88,4% do faturamento das lavouras de café em 2023

Confira a participação percentual na receita total prevista para as cinco regiões geográficas brasileiras

2 minutos de leitura

O valor bruto da produção brasileira das lavouras de café, estimado para o ano-cafeeiro 2023, foi calculado em R$ 51,48 bilhões. Tal receita, pois, tem como base o volume físico da estimativa da safra do grão associado aos respectivos preços médios recebidos pelos cafeicultores. Isso no período de janeiro a maio. Dessa forma, a Região Sudeste tem o maior faturamento das lavouras do produto no país. Por fim, quem divulgou os números foi a Embrapa.

Nesse sentido, o café é cultivado nas cinco regiões geográficas brasileiras, em 17 estados da Federação, incluindo o Distrito Federal. Portanto, vale destacar um ranking, em ordem decrescente, das receitas dessas regiões produtoras previstas para o ano-cafeeiro 2023. Neste caso, constata-se que a Região Sudeste figura em primeiro lugar nesse ranking. Cujo faturamento estimam em R$ 45,54 bilhões, cifra que corresponde a 88,4% do total nacional.

Ranking

Assim, na segunda posição, vem a Região Nordeste. Desde já, calculam sua receita em R$ 2,58 bilhões, a qual equivale a 5% do total.

Em complemento, na terceira posição do ranking, figura a Região Norte. De antemão, seu faturamento das lavouras de café é estimado em R$ 2,20 bilhões. O que corresponde a 4,2% dessa mesma base comparativa.

Em complemento, na quarta colocação, com a receita bruta das lavouras de café prevista para R$ 729,67 milhões, está a Região Sul. Que terá participação em torno de 1,4%.

Por fim, o faturamento da Região Centro-Oeste, calculado em R$ 417,81 milhões, corresponderá a menos de 1% da receita total.

Sudeste

Em primeiro lugar, estas análises e números da performance do Valor Bruto da Produção (VBP) da cafeicultura têm como base os dados do VBP Maio 2023 da Secretaria de Política Agrícola (SPA), do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Os números serviram como base desta análise pelo Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Portanto, vale esclarecer que o VBP é elaborado e divulgado mensalmente pela SPA/Mapa. Isso com base no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

E, também, no caso do café, nos preços médios recebidos pelos produtores, tendo como referência o café arábica tipo 6, bebida dura para melhor, e o café robusta tipo 6, peneira 1.

Estados produtores

Além disso, em um ranking dos maiores estados produtores de café, Minas Gerais se destaca na primeira posição. Em suma, o faturamento bruto é estimado em R$ 29,81 bilhões. Ou seja, montante que corresponde a 58% do total do VBP da cafeicultura nacional.

Do mesmo modo, na segunda colocação, vem o Espírito Santo, com R$ 10,41 bilhões de receita bruta da produção de café. Cifra que corresponde a 20,2% do total da mesma base comparativa.

Na sequência, está o estado de São Paulo com R$ 4,98 bilhões, receita que se confirmada equivalerá a 9,6% do VBP total. E, na quarta posição, vem a Bahia com R$ 2,56 bilhões (5%).

Em seguida, em quinto está Rondônia, com R$ 2,11 bilhões (4,1%). Por fim, em sexto lugar está o Paraná, com R$ 729,67 milhões (1,4%). Demais estados produtores completam os percentuais restantes do faturamento total.